Apoiando o reassentamento de refugiados

Por Quentin Wodon, presidente do Grupo Rotary em Ação para Refugiados Deslocamentos Forçados e Migração

De acordo com as últimas estatísticas do ACNUR, estima-se que 84 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar globalmente até a metade de 2021. Dentro desse grupo, 26,6 milhões são refugiados e 4,4 milhões estão buscando asilo.  Enquanto o número de indivíduos deslocados cresce globalmente, incluindo com a atual crise na Ucrânia, as organizações da sociedade civil incluindo os Rotary Clubs e seus distritos estão se mobilizando para ajudar nos esforços de reassentamento.

Rotaractiano na Áustria prepara ajuda para ucrânianos afetados pela guerra

Clubes apoiam os esforços de reassentamento de refugiados pelo mundo

Rotarianos e rotaractianos têm apoiado o reassentamento de refugiados de diferentes maneiras pelo mundo. Nos Estados Unidos, de acordo com resultados preliminares de uma pesquisa entre líderes de clubes e distritos norte-americanos conduzida pelo Rotary International em janeiro, quase um em cinco (17,4% dos 890 respondentes) indicaram que seu clube ou distrito já estava engajado em apoiar os esforços de reassentamento de refugiados afegãos.

As cinco atividades mais comuns que os associados do Rotary têm realizado nos Estados Unidos incluem o fornecimento de itens básicos de uso doméstico e mobília; o fornecimento de roupas apropriadas ao clima/estação; o fornecimento de itens adequados de alimentação; assistência com a matrícula em aulas de inglês; e assistência com serviços de colocação de empregos, serviços de saúde, e benefícios públicos. Por meio de seu trabalho, muitos clubes estão fazendo parcerias com agências líderes no reassentamento de refugiados para dar as boas-vindas e oferecer apoio de longo prazo para os recém-chegados se estabelecendo em suas comunidades. Para os clubes que ainda não se envolveram, há interesse em apoiar os esforços de reassentamento. Os resultados da pesquisa são encorajadores em termos da contribuição dos rotarianos e do potencial de engajar ainda mais clubes e distritos para compartilhar seu tempo para apoiar os refugiados.  

Ao redor do mundo, muito mais clubes e associados estão ajudando a receber os refugiados em suas comunidades. Por exemplo:

  • Os associados do Rotary no Brasil e na Colômbia fizeram parceria com organizações locais para oferecer refeições, itens médicos e oportunidades de desenvolvimento profissional para refugiados da Venezuela.
  • No Canadá, o Rotary Club de Amherst trabalhou com instituições religiosas locais para patrocinar e receber famílias da Síria.
  • Em Uganda, o Rotaract Club de Nakivale, que tem sua base dentro de um assentamento de refugiados, ajuda os recém-chegados oferecendo suprimentos, organizando atividades, e mentorando outros jovens.
  • Na Europa, clubes e distritos estão fornecendo roupas quentes, alimentos e leite artificial, além de suprimentos essenciais para mulheres, crianças e refugiados idosos chegando da Ucrânia. Muitos também estão abrindo suas casas para oferecer um lugar seguro e aquecido para os refugiados que estão deixando a Ucrânia.

Ensino superior para os jovens: outra oportunidade de ajudar

Há muitas oportunidades de ajudar famílias que se realocaram para sua comunidade, incluindo assegurar que jovens refugiados tenham acesso a oportunidades educacionais. Uma maneira de apoiar os recém-chegados é por meio de bolsas de estudo oferecidas tanto por Rotary Clubs quanto por universidades para jovens homens e mulheres qualificados que têm domínio suficiente da língua local ou possam adquiri-lo.

Mas para isso funcionar, são necessárias pelo menos duas condições. Primeiro, as bolsas de estudo universitárias precisam estar disponíveis para os refugiados. Idealmente, a oferta deve ser de bolsa de estudos integral. As universidades teriam que avaliar a habilidade de os potenciais beneficiados com as bolsas terem sucesso em seus cursos, o que iria requerer credenciais mínimas a serem cumpridas e verificadas. Clubes e distritos poderiam oferecer apoio individualizado para os bolsistas durante seus estudos. Muitas universidades têm programas que oferecem uma rota alternativa para a educação superior para grupos que, de outra forma, não cumpririam requisitos de admissão muito rígidos, e esses programas poderiam ser usados quando disponíveis.

Além disso, a disponibilidade de bolsas de estudo para refugiados precisaria ser divulgada para que indivíduos qualificados pudessem se candidatar. É provável que os clubes possam ajudar os aspirantes a bolsistas a completarem suas candidaturas. Os clubes poderiam ajudar na comunicação com os recém-chegados por meio de vários canais, inclusive fazendo contato com agências locais de reassentamento e seus parceiros institucionais.

Rotarianos e rotaractianos podem desempenhar um importante papel sugerindo às universidades que ofereçam bolsas de estudo aos refugiados, enquanto garantes que os refugiados e as agências que estão trabalhando com eles estejam cientes dessas bolsas.

Como um exemplo disso, após uma discussão durante uma reunião do conselho do nosso grupo de ação, Adémar Bechtold, professor de Economia na Notre Dame University of Maryland nos Estados Unidos, contatou a presidente da universidade para sugerir a oferta de uma ou duas bolsas de estudo para refugiadas afegãs. Fundada em 1895, a Notre Dame University of Maryland foi a primeira universidade católica para mulheres nos Estados Unidos a oferecer o diploma de bacharelado no país – e eles têm liderado o caminho na educação de mulheres desde então.

A doutora Yam e sua administração generosamente se comprometeram a oferecer duas bolsas de estudo integrais para jovens mulheres afegãs. A comunidade rotariana local está agora ajudando a divulgar estas bolsas para que refugiadas afegãs qualificadas possam se candidatar.

Há muito que rotarianos e rotaractianos podem fazer para contribuir com os esforços de reassentamento de refugiados. Se você já está envolvido, queremos saber o que você está fazendo. Se você não está envolvido, mas gostaria de estar, nós estamos no processo de preparar uma orientação com exemplos práticos do Rotary para ajudar clubes e distritos a avaliarem como eles estão preparados para se envolver.

Uma resposta em “Apoiando o reassentamento de refugiados

  1. Posso concordar com a grandeza de mobilização que os Rotrianos em diferentes ações humanitárias tem se envolvido nessa luta pela melhoria de vida das pessoas envolvidas em situações que muitas vezes não sabem como reagir
    Vejo com muito interesse a proposta de outros Clubes poderem contribuir após termos recebido orientações

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s