O rotariano Benjamin List recebe o Prêmio Nobel de Química

Por Florian Quanz

O Prêmio Nobel de Química deste ano vai para o alemão Benjamin List, associado do Rotary Club Mülheim a. d. Ruhr-Schloß Broich, e para o pesquisador americano nascido na Escócia David W.C. MacMillan. Ambos desenvolveram métodos para acelerar reações químicas.

A Revista Rotary da Alemanha fez uma breve entrevista com Benjamin List, que conduz suas pesquisas no Instituto Max Planck para Pesquisas com Carvão, na cidade de Mülheim.

Benjamin List: rotariano e ganhador do Prêmio Nobel de Química (Foto: Frank Vinken for MPG, Max-Planck-Institut für Kohlenforschung)

Como você ficou sabendo que ganhou o Prêmio Nobel de Química?

Esta é uma história incrível. Eu estava visitando a cidade de Amsterdam com minha mulher aquele dia, e isso mostra que eu realmente não esperava o prêmio. Nós assistimos a um concerto e escolhemos uma bonita cafeteria para o nosso café da manhã no dia seguinte. Pouco antes de fazermos nosso pedido, meu celular tocou. Minha mulher disse imediatamente: esta é a ligação. Mas aquilo foi uma brincadeira. Nós realmente não esperávamos, embora soubéssemos que o Prêmio Nobel de Química seria anunciado em 45 minutos. Você sempre ouve brincadeiras como essa quando está sendo considerado um candidato. Não que eu me visse como um candidato, mas, nos últimos anos, de vez em quando alguém me falava isso. Em todo caso, eu vi um número desconhecido no visor, e mostrava que era da Suécia. Eu olhei para minha esposa em choque, saí da cafeteria e atendi a chamada. Então, era realmente a ligação. Foi inacreditável. Eu tive que usar gestos para explicar à minha esposa, que ainda estava sentada na cafeteria me olhando pelo vidro, que realmente tinham acabado de me dizer que eu iria receber o Prêmio Nobel.

Qual foi a expressão no rosto da sua mulher naquele momento?

Ela estava em choque também, é claro. Eu me ajoelhei para mostrar que estava quase desmaiando de alegria. Aquele foi um momento que eu nunca vou esquecer. 

Você conseguiu tomar seu café da manhã em paz depois disso?

Não. Primeiro, a qualidade da comida, infelizmente, não estava como esperávamos. Depois, eu não conseguia comer nada, simplesmente não descia. É legal da parte deles te informar 45 minutos antes do anúncio, para que você possa se preparar para o que está por vir. Mas o que se espera que você faça com aqueles 45 minutos? Como você pode se preparar para isso? Na verdade, não há como. Então, nós pagamos rapidamente, passeamos um pouco mais em Amsterdam e voltamos para o hotel.

Você contou logo aos funcionários do hotel que você era agora um ganhador do Prêmio Nobel de Química?

Sim, contei a eles imediatamente. Eles ficaram muito felizes, claro, e gentilmente deixaram uma sala do hotel disponível para mim. Eu sentei lá e dei entrevistas, a primeira para a própria Fundação do Prêmio Nobel.

Quantas ligações você recebeu aquele dia?

Eu não contei. Ainda não tive tempo de responder todos os 600 e-mails que recebi. Além disso, há mensagens de texto e no Whatsapp.

É muito ruim para você que seu endereço de e-mail também esteja visível na página do Instituto Max Planck?

É um tanto ruim. Meu endereço de e-mail sempre é divulgado nas publicações em jornais científicos. Se você quiser, pode conseguir meu e-mail rapidamente. Minha ambição é sempre ter processado todos os e-mails na minha caixa de entrada em algum momento durante o ano. Mas temo que isso não vá acontecer este ano.

Como foi a recepção no Instituto Max Planck para Pesquisas com Carvão?

Foi incrivelmente bela. Foi um dos momentos mais bonitos da minha vida. Como eu não estava no instituto quando o anúncio foi feito, eles tiveram tempo suficiente para se preparar para a minha chegada. Temos uma área externa no instituto e no segundo andar há balcões de escape de incêndio nos quais os funcionários estavam de pé. Todos estavam aplaudindo e, claro, a imprensa estava lá e as câmeras de TV estavam apontadas para mim. Mas eu nem percebi aquilo. Eu apenas vi todos os meus colegas me aplaudindo. O sentimento de que o instituto inteiro estava lá de pé, comemorando e me aplaudindo, aquilo foi indescritível. Eu realmente pude sentir aquela alegria. Os colegas da administração, os analistas, os químicos de laboratório, todos estavam lá e aplaudiram por cinco minutos. Depois, houve um breve silêncio porque eu estava respondendo algumas perguntas dos repórteres, e então houve mais cinco minutos de aplausos. O tempo parecia sem fim naquele momento. Aquilo foi incrivelmente lindo.

Você conseguiu dizer alguma coisa ou foi um momento em que você não sabia o que falar?

Por incrível que pareça, isso foi fácil para mim. Mesmo porque, eu não tive que dar explicações complicadas, mas foi uma ocasião muito feliz.

Você foi convidado para uma celebração pelo seu Rotary Club?

Estamos em contato. Certamente haverá uma pequena celebração, mas quando poderemos fazer isso, eu não posso dizer ainda. Mas certamente faremos. Vamos ver se eu dou uma palestra também. Já me deixaram fazer duas apresentações, uma sobre minha vida como pesquisador e uma sobre catálise como um todo. De qualquer maneira, vamos celebrar com estilo.

7 respostas em “O rotariano Benjamin List recebe o Prêmio Nobel de Química

  1. Parabéns companheiro! Em especial pela sua humildade.
    Valdete Aparecida Sperandio da Cruz RC Umuarama Catedral – Umuarama-Parana+Brasil

    Curtir

  2. O PRÊMIO NOBEL DE QUÍMICA CONFERIDO AO COMPANHEIRO BENJAMIN LIST INDICA QUE ELE DEU SEU MELHOR EM BENEFICIO A TODO MUNDO.PARABÉNS,COMPANHEIRO!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s