Diplomatas do Rotary abrem oportunidades ao redor do mundo – virtualmente

Por Judith Diment, diretora da Rede de Representantes do Rotary

Já percorremos a maior parte deste ano rotário, e que ano, não é mesmo? Os representantes do Rotary junto a organizações internacionais são “embaixadores” da nossa organização em 22 agências da ONU e em outras instituições, identificando possibilidades estratégicas e formando relacionamentos que levem ao trabalho conjunto nas áreas de enfoque do Rotary. Estas tarefas não são nada fáceis em meio a uma pandemia. Assim como os demais rotarianos, tivemos que nos adaptar a fazer as coisas de modo diferente, com reuniões virtuais – é a diplomacia na internet!

Walter Gyger, embaixador suíço aposentado e representante do Rotary nas Nações Unidas em Genebra, passou boa parte do último ano planejando a reunião do Peace Projects Incubator, que teve que ser convertida ao ambiente virtual em novembro. Realizada junto com o Grupo Rotary em Ação pela Paz, a reunião atingiu o objetivo da rede de representantes de conectar seus integrantes a várias entidades rotárias, e também serviu de vitrine para alguns Bolsistas Rotary pela Paz, convidados por Walter, apresentarem mais de 50 projetos prontos para implementação, mas que ainda precisavam de apoio, recursos e envolvimento de Rotary Clubs. Visite o site do evento para mais informações.

Também em novembro, os nossos representantes em Bruxelas – Michel Coomans e Hugo Schally – realizaram uma conferência virtual sobre Segurança Sanitária Global, que teve a colaboração do presidente Holger Knaack e da deputada do Parlamento Europeu, Marlene Mortler. O objetivo principal do encontro foi a defesa do financiamento do programa de combate à pólio. Mais de 450 participantes de diferentes partes do mundo marcaram presença.

Fiquei muito satisfeita com as discussões na Assembleia Mundial da Saúde, em novembro, onde houve o reconhecimento da importância do papel do Rotary na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio (GPEI). Outro ponto alto foi a renovação do compromisso dos estados membros com a erradicação da poliomielite, além do agradecimento pela contribuição notável que o Rotary tem feito ao enfrentamento da covid-19, disponibilizando recursos desde março do ano passado.

Na reunião virtual do Conselho Executivo da OMS, em janeiro, os líderes e ministros mundiais da saúde defenderam a realização de ações combinadas e emergenciais para livrar o mundo da paralisia infantil, enfatizando a responsabilidade global e coletiva de acabarmos de uma vez por todas com essa doença. As delegações presentes reiteraram sua anuência ao reaproveitamento sustentável dos ativos e estrutura da pólio. Falando em nome do Rotary, agradeci aos líderes globais da saúde por sua contínua dedicação à eliminação da pólio e à saúde pública, ao que de pronto concordaram os nossos parceiros presentes, incluindo a Fundação das Nações Unidas.

A reunião dos chefes de estado da Comunidade das Nações foi adiada para junho de 2021 por causa da covid-19. Apesar da mudança de planos, foi um prazer ver que os temas do evento de junho agora incluem a saúde sob o prisma da pandemia. Junto com algumas ONGs de países que compõem a Comunidade, estou desenvolvendo uma apresentação abrangente para a reunião dos Altos Comissários.

Em Nairóbi, a ex-embaixadora queniana Josephine Ojiambo tem se desdobrado no combate à covid-19, servindo de ponte entre o escritório do Unicef no Quênia e o Distrito 9212. As partes assinaram um acordo de dois anos com foco na covid-19 e em água, saneamento e higiene (WASH) nas escolas, e lançaram uma grande campanha de arrecadação de fundos.

Também em Nairóbi, a representante do Rotary na Unesco, Salome Gitoho, participou de um webinar sobre recuperação e revitalização da educação para a geração covid-19. Durante a sessão, organizada em conjunto por Unesco, ONU, Parceria Global para a Educação e Centro de Estudos Interdisciplinares, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ressaltou que a educação é um bem público e direito humano fundamental, devendo ser protegida para evitar uma catástrofe geracional. “Devemos intensificar nossas ações em 2021 para reimaginar a educação, formar professores e diminuir a lacuna digital entre as pessoas”, expôs Guterres.

Todos os 30 representantes do Rotary estão fazendo exatamente isso – reimaginando, particularmente no que diz respeito ao impacto desta pandemia – as várias formas pelas quais O Rotary Abre Oportunidades e se une a agências internacionais para inspirar, compartilhar conhecimentos e implementar projetos conjuntos.

Leia mais sobre o vínculo do Rotary com a ONU.   

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s