Ética: o que você faria nesta situação?

O seu clube está planejando construir um novo playground na comunidade. Você não faz parte da comissão de planejamento, mas tem trabalhado arduamente para arrecadar fundos para o clube. Como resultado, seus amigos, familiares e colegas de trabalho fizeram doações generosas ao “fundo geral para projetos” do seu clube. Na reunião seguinte do clube, a comissão de planejamento do projeto anuncia que, para a construção do playground, está contratando uma empresa cujo dono é parente do presidente do clube. Embora haja várias empresas de construção na comunidade, o clube não abriu licitação para o playground. O presidente do clube recomendou pessoalmente a empresa e garante que ela fará um trabalho melhor do que as outras. Apesar de o preço orçado parecer razoável, você não sabe o suficiente sobre construção para ter certeza de que isto é verdade.

 

O que você faria nesta situação?

8 respostas em “Ética: o que você faria nesta situação?

  1. Examinando-se eticamente a posição dos envolvidos:
    Presidente do clube: Deveria deixar a escolha da firma construtora para a comissão de planejamento e jamais, praticamente impor um candidato, com o agravante de ser seu parente, dizendo, subjetivamente, que esta firma fará um trabalho melhor do que as demais da comunidade?!?
    O Presidente arranhou muito a ética, a clareza e a transparência que um clube de Rotary deve ter ao gerir o dinheiro doado pela comunidade.
    A comissão de planejamento, errou, também, arranhando os atributos citados acima, em sucumbir a imposição do Presidente e escolher um candidato sem licitação.
    O associado que não concordou com os desmandos do Presidente e da comissão de planejamento, e não solicitou uma assembléia do clube, específica, para colocar ordem nestes desmandos, arranhões éticos e outros que tais, também errou por omissão, compactuando com a falta de ética.
    Obs. Tomara que Bill Gates não tome conhecimento deste fato hipotético, para não mudar o seu conceito em relação a nossa grande e ética organização……

    Curtir

  2. Por uma questão de transparência e ética na utilização de fundos coletivos, eu pediria que fosse chamada uma reunião, para a discussão deste assunto.
    A licitação com tres empresas interessadas é uma norma convencional, e a empresa que melhor atendesse aos interesses de qualidade exigidos pelo Clube, seria a escolhida independentemente do menor preço ( a menos que se tratasse do mesmo produto). Assim se a empresa escolhida pelo presidente fosse a melhor, dentro destes critérios, seria escolhida sem dúvida, e sem passar por questões de favorecimento.

    Curtir

  3. Em reunião eu sugeriria que fosse feita a licitação para que não houvesse cnstangimento em relação ao presidente,mesmo porque essa é a atitude recomendável.

    Curtir

  4. Em se tratando de prestação de serviço que esteja dentro dos padrões normais de valor contratual e de mercado, para demonstrar transparência, promoveria a exibição em Conselho de outros dois orçamentos, até a conclusão da obra, contendo todas as demais condições contratuais, benefícios, forma de pagamento e colocaria em aprovação, com agilidade.

    Curtir

  5. Esta decisão conflita com normas estatuidas e causa conflito. Uma decisão monocrática só poderia ocorrer após conhecer a opinião dos demais membros do Conselho Diretor. O processo deve ser interrompido e reanalisado pelo Conselho Diretor a até por uma Assembleia ordinária do clube.

    Curtir

Deixe uma resposta para Lilian Maria Carvalho Suplicy e Souza Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s