Rotary Clubs do Brasil salvam vidas de recém-nascidos

Por John Wahlund, gerente, áreas de enfoque saúde materno-infantil e prevenção e tratamento de doenças

Eu perguntei a uma mãe qual era o nome do seu filho e ela disse que era Felipe, ao que mencionei que um grande amigo meu, brasileiro por sinal, também se chamava Felipe. Ela me deu um abraço apertado e um beijo no rosto, agradecendo a mim e a todos os rotarianos por ter salvo a vida do seu filhinho.

John Wahlund e um bebê prematuro na UTI do Hospital São Francisco de Assis, que agora conta com equipamento de neonatal de ponta.

John Wahlund e um bebê prematuro na UTI do Hospital São Francisco de Assis, que agora conta com equipamento de neonatal de ponta.

Esta conversa aconteceu durante uma das três avaliações do Visão de Futuro na área de enfoque saúde materno-infantil que eu fiz em São Paulo, Brasil. Os rotarianos locais estavam trabalhando em parceria com hospitais renomados desta cidade dinâmica, que serve de casa para mais de 12 milhões de pessoas.

O Hospital São Francisco de Assis foi o destino dos fundos de um Subsídio Global que ajudou a dobrar a capacidade da Unidade de Terapia Intensiva e o número de incubadoras, possibilitando o tratamento de um número maior de recém-nascidos em estado crítico de saúde. As 22 incubadoras estavam em uso durante minha visita e o projeto como um todo, que envolveu campanhas televisivas dirigidas a jovens e gestantes, me tocou profundamente. Foi indescritível o que senti ao ver os bebês prematuros tendo chances reais de sobrevivência graças à intervenção da nossa organização e de nossos parceiros.

John Wahlund com o rotariano Remo Batagglia (contador para o projeto), responsável pelo Hospital São Francisco de Assis.

John Wahlund com o rotariano Remo Batagglia (contador para o projeto), responsável pelo Hospital São Francisco de Assis.

A Santa Casa de Misericórdia, um dos grandes centros de saúde pública da metrópole, fica no coração da cidade. Construída nos anos 1500, a Santa Casa é referência em tratamento e ensino, servindo às populações carentes com dedicação e profissionalismo. Com o Subsídio Global e equiparações na proporção 3:1 de parceiros, os rotarianos abriram o primeiro banco de leite deste hospital para atender aos recém-nascidos que inspiram maiores cuidados. Tive o privilégio de presenciar os rotarianos e seus parceiros doando uma van equipada para coleta e entrega de leite humano, que servirá também a três outros hospitais da rede pública. Os sorrisos das mães traduziam a imensa gratidão que sentiam.

Mães com seus filhos. O tratamento recebido pelos bebês é feito com equipamento doado por Rotary Clubs locais.

Mães com seus filhos. O tratamento recebido pelos bebês é feito com equipamento doado por Rotary Clubs locais.

Também visitei o Hospital e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco, na Grande São Paulo, onde assisti a uma apresentação espetacular para jovens mães sobre como cuidar de sua saúde e a de seus filhos. Este é o único hospital público do gênero nesta região e atende a mais de 800.000 pessoas. Graças ao Subsídio Global, o estabelecimento agora tem uma sala altamente equipada para coleta de leite, que fornece o máximo em termos de conforto e higiene, uma prova para todos de que os rotarianos sabem o que fazem e merecem todo o respeito.

Tive o prazer de ser ciceroneado por rotarianos maravilhosos e seus parceiros de projeto. O meu sincero agradecimento vai para todos eles, por terem me mostrado a beleza do seu trabalho na área da saúde, em especial para:

  • John Wahlund e o rotariano Remo Batagglia, com a enfermeira chefe da UTI do Hospital São Francisco de Assis.

    John Wahlund e o rotariano Remo Batagglia, com a enfermeira chefe da UTI do Hospital São Francisco de Assis.

    Os rotarianos Valter Maike, Antonia Abdullah e Remo Battaglia, do Rotary Club de São Paulo-Sudeste (projeto do Hospital São Francisco de Assis)

  • Os rotarianos Murilo Norcia e Pedro Jose Manfrin, do Rotary Club da Barra Funda; Yoiti Fujwara, do Rotary Club de São Paulo-Aeroporto; e Emira Maria Aranha Gazel, do Rotary Club de São Paulo-Pacaembu (projeto da Santa Casa Misericórdia)
  • Os rotarianos Dra. Simone Cristina Gomes Silveira, Teresinha Pinto, Daniel e Orlando Fanale (projeto Hospital e Maternidade Amador Aguiar)
  • Minha incansável intérprete e amiga, Fernanda Christina de Oliveira Leme
  • O time competente e amigo de funcionários do nosso escritório em São Paulo

Fotos gentilmente cedidas pelo rotariano Valter Maike.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s